5 estratégias nutricionais para a beleza das unhas, dos cabelos e da pele

Segundo dados de um recente relatório da Euromonitor (2020), a busca em estar bem consigo mesmo relaciona-se com a percepção do que é ter saúde. Ainda nesse contexto, em uma pesquisa com 500 mulheres, 43% delas associaram a pele do rosto à saúde e ao bem-estar (IBOPE INTELIGÊNCIA, 2015). Assim, podemos ver a importância do cuidado da beleza não só como sinônimo de estética, mas de autoestima e bem-estar, principalmente das mulheres.

As alterações ungueais, cutâneas e capilares são as principais queixas femininas, principalmente em relação à sua fragilidade, no caso do cabelo e das unhas, e flacidez, quando pensamos na pele. Mas por que será que elas acontecem?

 

Estilo de vida é tudo!

Como uma das principais pontes que unem os distúrbios estéticos, podemos destacar principalmente o estilo de vida. O padrão alimentar inadequado, o sedentarismo, o sono de má qualidade, o tabagismo, o estresse, entre outros fatores, impactam de forma direta a saúde ungueal, capilar e cutânea. Por isso a nutrição é uma grande aliada para favorecer o cuidado integrado da beleza a partir da nutrição efetiva do organismo, que  se refletirá no adequado funcionamento de todos os sistemas do corpo e, consequentemente, levará a uma melhora da qualidade, do fortalecimento e da aparência das unhas, dos cabelos e da pele.

 

Nutrientes aliados da beleza

Visto que a deficiência nutricional exerce grande influência na beleza, é importante destacar alguns nutrientes-chave, como o colágeno, o enxofre, o cálcio, a biotina e outras vitaminas do complexo B, ferro, cobre, vitamina A e vitamina C, que atuam na síntese e na estabilização da queratina e do colágeno. Destaca-se ainda o papel do selênio e da vitamina E na prevenção dos danos causados pelos radicais livres, que podem impactar na estrutura capilar e ungueal. Vale ressaltar a importância da vitamina B12 e do cobre para a coloração do fio de cabelo.

Separamos, pensando nisso, 5 estratégias para incluir nas suas condutas e auxiliar você a proporcionar maior bem-estar para suas pacientes! Confira:

1- Melhorar a saúde intestinal: é no intestino que a maior parte dos nutrientes é absorvida e, por isso, é necessário que sua função esteja otimizada quando pensamos em nutrição estética. Desse modo é de suma importância a correção da disbiose, da permeabilidade intestinal e do trânsito intestinal de forma a otimizar a absorção nutricional. Assim, a hidratação, o consumo de alimentos ricos em fibras (farelo de aveia, sementes de chia e linhaça e psyllium) e alimentos fermentados, como kefir e kombucha, auxiliam na manutenção da saúde intestinal contribuindo para este objetivo.

2- Colágeno – a proteína de beleza: por fazer parte de todos os tecidos estruturais (cabelo, unhas e pele), o colágeno é considerado a proteína da beleza, por isso, sua suplementação é incentivada para promover  cuidado, fortalecimento e revitalização destas estruturas., principalmente o colágeno Verisol®. Hexsel et al. (2017) conduziram um estudo com participação de 25 pessoas, que receberam 2,5g de peptídeos de colágeno (Verisol®) por dia, durante 24 semanas, com pausa de 4 semanas. Houve aumento da taxa de crescimento das unhas e diminuição na frequência de unhas quebradas após a suplementação. Vollmer et al. (2018) verificaram a influência dos peptídeos bioativos de colágeno Verisol® em 114 mulheres de 45 a 65 anos. No estudo randomizado, elas receberam 2,5g de colágeno ou placebo uma vez ao dia, por oito semanas. Os resultados apontaram redução significativa de rugas oculares em quatro semanas e aumento de colágeno e elastina após oito semanas.

3- Ajuste do consumo diário de proteínas: além do colágeno, todos os tecidos estruturais são formados em sua grande parte por queratina. Por isso, para sua síntese endógena é fundamental oferecer os aminoácidos necessários através do aporte proteico adequado, levando em consideração as necessidades nutricionais individuais de cada paciente. Assim, a falta dos aminoácidos essenciais para a manutenção dérmica, ungueal e capilar, a partir de um padrão alimentar com baixo aporte de proteínas, pode afetar essas estruturas.

4- Aumentar o consumo dos alimentos fontes dos nutrientes da beleza: além de oferecer os aminoácidos necessários para a formação das proteínas da beleza, é fundamental que haja a adequação do consumo dos nutrientes necessários para a síntese dessas, além da manutenção dos tecidos estruturais. Por isso, folhas verde-escuras (ferro e cálcio); brócolis, couve-flor, repolho e couve (enxofre); alimentos alaranjados (com precursores de vitamina A); morango, acerola, laranja, goiaba e limão (vitamina C); grãos e sementes, como feijões e semente de abóbora (ferro e zinco); cereais integrais, como aveia, arroz e quinoa (vitaminas do complexo B) e castanha-do-brasil (selênio) devem fazer parte da rotina alimentar de quem deseja uma rotina de beauty care eficaz.

5- Incluir um suplemento de qualidade e completo: além da melhora da qualidade da alimentação, a associação com um suplemento de qualidade e com equilíbrio de nutrientes em sua composição reforça a nutrição destes tecidos estruturais. Um ensaio clínico randomizado avaliou o efeito de uma formulação biomineral contendo aminoácidos (l-cistina, l-arginina, ácido glutâmico), vitaminas (C, E, B6 e biotina) e minerais (zinco, ferro e cobre) na saúde ungueal, provando ser bem tolerada e eficaz no fortalecimento e uniformização das unhas em indivíduos com onicosquizia (descamação da unha) após 3 meses de tratamento (SPARAVIGNA et al., 2019). Braun e Heinrich (2020) reuniram vários estudos científicos evidenciando que suplementos com múltiplos nutrientes, como ferro, vitamina C, vitaminas do complexo B, zinco, vitamina E e aminoácidos é eficaz na redução da queda de cabelo, além de propiciar melhora da densidade dos fios.

VMC Hair, Nails & Skin da Naiak é um suplemento alimentar completo em cápsulas, composto por 8 vitaminas, 2 minerais quelados e colágeno Verisol®, que são essenciais para o cuidado da beleza.

 

REFERÊNCIAS

SIMAS, L.A.W.; WOLPE, R.E. Manual de Atendimento em Nutrição Estética. Curitiba: editora , 2016.

PUJOL, A. P. Manual de Formulações para Prática Clínica. Camboriú: Ed. do Autor,  2019.

VOLLMER, D.; WEST, V.; LEPHART, E. Enhancing Skin Health: By Oral Administration of Natural Compounds and Minerals with Implications to the Dermal Microbiome. International Journal of Molecular Sciences, v. 19, n. 10, p.3059-3094, 2018.

HEXSEL, D. et al. Oral Supplementation With Specific Bioactive Collagen Peptides Improves Nail Growth and Reduces Symptoms of Brittle Nails. Journal of Cosmetic Dermatology, v. 16, n. 4, p. 520-526, 2017.

GUO, E. L.; KATTA, R. Diet and hair loss: effects of nutrient deficiency and supplement use. Dermatology Practical & Conceptual, v. 7, n. 1, p. 1-10, 2017.

SPARAVIGNA, A.; TENCONI, B.; LA PENNA, L. Efficacy and tolerability of a biomineral formulation for treatment of onychoschizia: a randomized trial. Cosmetic and Investigational Dermatology, v. 12, 2019.

BRAUN, N.; HEINRICH, U. What Can Complex Dietary Supplements Do for Hair Loss and How Can It Be Validly Measured—A Review. Appl. Sci, v. 10, p. 4996, 2020.

Benefícios dos óleos de borragem e de prímula para a saúde da mulher

O corpo feminino sofre mudanças por toda a vida, desde a menarca até a chegada da menopausa, sendo a mulher exposta a várias alterações físicas, metabólicas e emocionais que podem impactar a sua qualidade de vida. Existem duas fases significativas na vida da mulher que merecem destaque: a menarca, quando a grande maioria precisa conviver com os sintomas da tensão pré-menstrual (TPM), e a menopausa com todos os sintomas que ela desencadeia no corpo feminino.

Tensão pré-menstrual
É caracterizada por um conjunto de sintomas fisiológicos e emocionais durante a fase lútea, surgindo em, um ciclo de 28 dias, normalmente, nos 10 primeiros dias que antecedem à menstruação (mas há casos em que surge até 14 dias antes). Seus sintomas principais, que tanto impactam a qualidade de vida das mulheres, são: insônia, dor nas mamas, alteração no padrão alimentar, inchaço, dificuldade para concentração, fadiga, redução da libido, irritabilidade, entre outros (já foram catalogados mais de 200 sintomas!). Uma das principais alterações fisiológicas que provocam esses sintomas é a atividade do estrogênio e progesterona.

Menopausa
Esta fase é definida como a ausência de menstruação por um período igual ou superior a 12 meses, sendo que normalmente as principais alterações que ocorrem são atribuídas à redução dos níveis de estrogênio, que pode desencadear uma série de sintomas que afetam de forma expressiva a qualidade de vida feminina, como fogachos, dores, irritabilidade, insônia, redução da hidratação cutânea, ganho de peso e outros.

O papel da nutrição na saúde da mulher
A nutrição é uma grande aliada da modulação dessas mudanças e de todo o quadro fisiológico e emocional que elas desencadeiam a partir da integração entre alimentação e suplementação efetiva, sendo que o óleo de borragem e o óleo de prímula são suplementos com eficácia comprovada na literatura científica e que merecem destaque pelos benefícios que proporcionam ao bem-estar feminino.

Óleo de borragem – O que a ciência relata sobre os benefícios?
É um óleo vegetal, extraído a frio e obtido das sementes da planta Borago Officinalis. É rico principalmente em ácido gamalinolênico e ácido linoleico, da série ômega-6, essenciais para a modulação da resposta inflamatória, apresentando ação na síntese de prostaglandinas, que são responsáveis por vários sintomas na TPM e na menopausa. Além disso, tem capacidade de auxiliar na modulação hormonal e apresenta propriedades benéficas para a pele.

A literatura científica aponta que a suplementação com óleo de borragem pode auxiliar no tratamento dos sintomas da TPM e da menopausa, principalmente quanto à mastalgia cíclica e, em período fértil, ainda contribuir para reduzir episódios de dismenorreia. Além disso, a suplementação com este óleo é eficaz para reduzir a perda de água transepidérmica, a rugosidade e descamação, comprovando sua eficácia na melhora da aparência da pele, sendo aliado da melhora da hidratação cutânea das mulheres menopausadas, pois a desidratação da pele é um problema comum nessa fase.

Gama et al. (2015), em um estudo clínico, demonstraram que a suplementação com 900 mg de óleo de borragem, em mulheres em idade reprodutiva, durante 90 dias, promove redução significativa da mastalgia cíclica.

Óleo de prímula – Evidências sobre seu papel na saúde feminina
É um óleo vegetal obtido das sementes Oenothera biennis, muito rico em ácidos graxos essenciais, como o ácido linoleico e ácido gamalinolênico, apresentando ação anti-inflamatória. Tem sido associado à redução de sintomas da síndrome pré-menstrual e menopausa, como inchaço, alterações de humor e mastalgia. Na menopausa, pode atuar, ainda, auxiliando nos sintomas psicológicos.

Mahboudi (2018) reúne estudos que comprovam os benefícios da suplementação com óleo de prímula na redução significativa da mastalgia em mulheres com idade reprodutiva e na amenização dos fogachos em mulheres na menopausa.

Um recente estudo clínico, randomizado e controlado, conduzido por Sharif e Darsarch (2020), demonstrou que a suplementação com óleo de prímula promoveu melhora de sintomas psicológicos como ansiedade, irritabilidade e humor depressivo em mulheres menopausadas, após 8 semanas de intervenção. Ainda, há autores que demonstram a suplementação com óleo de prímula amenizando os fogachos decorrentes da menopausa (MEHRRPOOYA et al., 2018)

Tanto o óleo de prímula quanto o de borragem têm sido apresentados como tratamentos complementares para melhorar os sintomas da menopausa e tensão pré-menstrual visando à qualidade de vida da mulher, por isso, devendo ser integrado à mudança de hábitos alimentares, do manejo do estresse, da prática de atividade física e da qualidade do sono.

REFERÊNCIAS

FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. SOCIEDADE BRASILEIRA DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE. Tensão pré-menstrual. Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina, 2011. Disponível em: https://diretrizes.amb.org.br/_BibliotecaAntiga/tensao_pre_menstrual.pdf . Acesso em: 05 jan de 2021 BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Manual de Atenção à Mulher no Climatério/Menopausa. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, p. 192, 2008. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_atencao_mulher_climaterio.pdf . Acesso em: 05 jan de 2021 SHARIF, S. N.; DARSAREH, F. Impacto of evening primrose oil consumption on psychological symptoms of postmenopausal woman: a randomized double-blinded placebo-controlled clinical trial. Menopause, v. 27, n. 2, p. 194-198, 2020. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31738736/ . Acesso em: 05 jan de 2021 GAMA, C. R. B. et al. Clinical Assessment of Treatment Outcomes Following Borago officinalis Extract Therapy in Patients Presenting with Cyclical Mastalgia. International Journal of Clinical Medicine, v. 6, n. 06, p. 363, 2015. Acesso em: 05 jan de 2021 KHOO, S. K.; MUNRO, C.; BATTISTUTTA, D. Evening primrose oil and treatment of premenstrual syndrome. Med J Aust., Sydney, v. 153, n. 4, p. 189-192, 1990. Acesso em: 05 jan de 2021 PAIVA, S. P. C.; PAULA, L. B.; NASCIMENTO, L. L. O. Tensão Pré-Menstrual (TPM): uma revisão baseada em evidências científicas. Femina, Rio de Janeiro, v. 38, n. 6, p. 311-315, 2010. Acesso em: 05 jan de 2021 SANTOS, T; LOPES, G. Tensão pré-menstrual (tpm): fitoterapia baseada em evidências. Revista UNINGÁ, v. 24, n. 3, p.139-145, out./dez. 2015. Acesso em: 05 jan de 2021 MEHRPOOYA, M. et al. A comparative study on the effect of “black cohosh” and “evening primrose oil” on menopausal hot flashes. J Educ Health Promot, v.7, p.36, 2018. Acesso em: 05 jan de 2021 SPIRIT, F. et al. Intervention with flaxseed and borage oil supplements modulates skin condition in women. Br J Nutr., v. 101, n. 3, p. 440-5, feb. 2009. Acesso em: 05 jan de 2021 MAHBOUDI, M. Evening Primrose ( Oenothera biennis) Oil in Management of Female Ailments. J Menopausal Med, v.25, n.2, p.74-82, 2018. Acesso em: 05 jan de 2021

Como escolher o seu suplemento de magnésio?

A importância do magnésio

O magnésio é o 4° mineral mais abundante no corpo e exerce importantes funções em âmbito molecular, bioquímico e fisiológico, sendo necessário para mais de 300 reações no organismo e para a manutenção da homeostase.

Como exemplo de algumas dessas funções, pode-se destacar o seu papel na absorção de cálcio e regulação da vitamina D, pois é essencial para a saúde óssea, atua na síntese de serotonina (neurotransmissor associado ao bem-estar, à felicidade e ao relaxamento), na modulação da ansiedade, na neuroproteção e na condução de sinais neuromusculares, bem como apresenta importância para a saúde cerebral. Também se associa na prevenção de arritmias e hipertensão, além de regulação da vasoconstrição e do sistema cardiovascular.

Deficiência de magnésio – Quais os sintomas?

As concentrações corporais de magnésio abaixo do ideal são altamente prevalentes nos países ocidentais, inclusive no Brasil, principalmente, devido à baixa ingestão alimentar. Assim, uma das formas de tratar a sua deficiência seria a partir da adequação pela alimentação, com a inclusão de alimentos fonte como gergelim, folhas verde-escuras (como espinafre e couve), oleaginosas e grãos integrais.

Mas a sua concentração nos alimentos pode ser impactada pelo teor de magnésio presente no solo, que pode ser deficiente, além dos processos de refinamento, sendo a suplementação uma forma efetiva de melhorar os seus níveis corporais, assim, visando garantir os benefícios do magnésio.

Como principais sintomas da deficiência deste mineral destacamos fadiga, dores de cabeça e/ou enxaquecas, aumento da pressão arterial, arritmias, alterações na glicemia, osteoporose, câimbras, entre outros.

Suplementos de magnésio

No momento de escolher seu suplemento de magnésio, você se depara com diversos tipos. Isso acontece porque há diferentes formas de apresentação deste mineral, sendo que cada uma delas tem objetivos e biodisponibilidade distintos.

Na Naiak, você encontra dois tipos de suplementos de magnésio! Entenda como escolher o melhor para o seu objetivo:

Magnésio Dimalato

● O que é?

Formulado a partir da combinação de magnésio e ácido málico, com a finalidade de formar o chamado mineral quelato, que leva ao aumento de sua biodisponibilidade, apresentando alta e rápida absorção intestinal. O ácido málico é um composto bioativo que atua, principalmente, na geração de energia pelo corpo.

● Quando é indicado?

Para diminuir os sintomas de fibromialgia, amenizar dores musculares ou articulares, diminuir a intensidade dos sintomas da TPM, reduzir sintomas emocionais (ansiedade e estresse), otimizar a produção de energia corporal e melhorar a qualidade do sono.

● Diferenciais Naiak:

Com o selo Albion Minerals, evita desconforto gastrointestinal, tem absorção prolongada e apresenta 433mg de magnésio dimalato por cápsula, além de ser vegano.

Tauromind

● O que é?

Este apresenta-se como a associação entre o magnésio e a taurina, potencializando a biodisponibilidade do magnésio. Após a sua absorção, é encontrado principalmente no tecido cerebral. A taurina é um aminoácido importante para o corpo, sobretudo para o melhor funcionamento do sistema cardiovascular e nervoso.

● Quando é indicado?

Para contribuir para a manutenção da saúde cardíaca, dessa forma, modulando a pressão arterial, no tratamento do estresse crônico, na melhora da memória e do aprendizado, na redução da enxaqueca e como coadjuvante do tratamento de doenças neurodegenerativas.

● Diferenciais Naiak:

Com o selo TauroMag, apresenta 525mg de magnésio taurato por cápsula e é vegano.

Atente-se, sempre, à presença dos selos de certificação nos seus suplementos: eles dão garantia da qualidade e segurança do produto que está adquirindo.

REFERÊNCIAS

DINICOLANTONIO, J. J. et al. Subclinical magnesium deficiency: a principal driver of cardiovascular disease and a public health crisis. Open Heart, v. 5, p. 1-17, 2018. Disponível em: <https://openheart.bmj.com/content/5/1/e000668>. Acesso em: 01 de dez. de 2020. RAZZAQUE, M. S. Magnesium: are we consuming enough? Nutrients, v. 10, n. 12, p. 1-8, 2018. Disponível em: <https://www.mdpi.com/2072-6643/10/12/1863/htm>. Acesso em: 01 de dez. de 2020. BOYLE, N.B.; LAWTON, C.; DYE, L.The Effects of Magnesium Supplementation on Subjective Anxiety and Stress—A Systematic Review. Nutrients, v.9, n.5, p.429, 2017. Disponível em: < https://www.mdpi.com/2072-6643/9/5/429/htm > Acesso em 07 dez. de 2020. AHMED, F.; MOHAMMED, A. Magnesium: The Forgotten Electrolyte-A Review on Hypomagnesemia. Med Sci., v.7, n.7, p.56, 2019. Disponível em: < https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30987399/ > Acesso em 07 dez. de 2020. FERREIRA, I.; ORTIGOZA, A.; MOORE, P. Magnesium and malic acid supplement for fibromyalgia. Medwave, v.19, n.4, p.7633, 2019. Disponível em: < https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31150373/ > Acesso em 07 dez. de 2020. IBEROQUÍMICA MAGISTRAL. Magnésio Dimalato – Combinação de magnésio com ácido málico. Disponível em: <https://www.iberoquimica.com.br/Arquivos/Insumo/LAMINA-164613.pdf.> Acesso em 07 dez. de 2020. ATES, M. et al. Dose-Dependent Absorption Profile of Different Magnesium Compounds. Biol Trace Elem Res., v.192, n.2, p.244-251, 2019. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30761462/> Acesso em 07 dez. de 2020.

Entendendo os selos da Naiak

Você já reparou que alguns suplementos nutricionais da Naiak apresentam selos de certificação? Eles são uma espécie de aprovação concedida por instituições certificadoras oficialmente autorizadas, que podem ser nacionais ou internacionais, e evidenciam a qualidade de determinado produto, certificando quanto à sua origem ou modo de produção.

Para que o produto receba um selo, a empresa precisa adotar uma série de normas, exigindo investimentos e adoção de metodologias específicas, de forma que a empresa o submeta a uma avaliação rigorosa pelas instituições certificadoras. Caso seja encontrada alguma não conformidade na cadeia produtiva, a empresa precisa corrigir esses detalhes. Assim, a presença deles permite que você, consumidor, tenha segurança do produto que está adquirindo. Afinal, a sua saúde deve ser levada a sério!

Entenda mais sobre os selos presentes nos produtos da Naiak:


Referências

 

BALCHEM CORPORATION (Utah). Albion | Minerals . Science . Chelates. 2016. Disponível em: https://albionminerals.com/. Acesso em: 11 nov. 2020.

BARBOUR, Ana Maria. Você sabe o que é alimento Halal? 2010. Disponível em: https://icarabe.org/geral/voce-sabe-o-que-e-alimento-halal. Acesso em: 11 nov. 2020.

DSM. Por que MEG-3: trust the source. Trust the Source. 2016. Disponível em: https://www.meg-3.com/pt_BR/why-meg-3.html. Acesso em: 11 nov. 2020.

NUTRASOURCE. What is IFOS? Disponível em: <https://certifications.nutrasource.ca/about/how-certifications-work/ifos> Acesse em: 11 nov. de 2020.

FREITAS, Flávia. Você sabe a diferença entre alimentos HALAL e KOSHER? 2017. Laborgene: agrogenética. Disponível em: https://www.laborgene.com.br/voce-sabe-a-diferenca-entre-alimentos-halal-e-kosher-2/. Acesso em: 11 nov. 2020.

NCH EUROPE (Portugal). Certificação NSF. Disponível em: https://www.ncheurope.com/pt/resources/nsf-certification. Acesso em: 11 nov. de 2020.

NEWCORP BRASIL. Lâmina TauroMag. Disponível em: <http://www.newcorpbrasil.com.br/arqs/lamina_tmcardio.pdf> Acesso em: 11 nov. de 2020.

Whey Protein: pode ser aliado do emagrecimento saudável?

Com a chegada do verão, os pacientes que vão ao consultório do nutricionista buscando estratégias nutricionais que contribuam para a perda de peso. O emagrecimento efetivo e saudável é resultado da resolução de alterações metabólicas, além de um olhar integrativo, que avalia e inclui no tratamento os aspectos comportamentais, genéticos, biológicos e sociais. Nesse contexto, de acordo com os benefícios físicos, assim como os de autoestima e de qualidade de vida, que a redução de peso pode promover, a inclusão de intervenções inovadoras e efetivas também é necessária para atingir tal objetivo. Suplementos proteicos são investigados como estratégia nutricional para melhorar as condições metabólicas e a composição corporal, inclusive no processo de emagrecimento, com destaque para o whey protein.

Whey protein – Qual a sua composição nutricional?

O whey protein (proteína do soro do leite) é um suplemento alimentar obtido como subproduto da fabricação de queijos, pela coagulação da caseína, mediante um processo de filtração. Ele possui um excelente valor nutricional, principalmente, devido a sua alta concentração proteica, com um rico perfil de aminoácidos essenciais (aqueles que o corpo é incapaz de produzir, devendo ser obtidos via alimentação ou suplementação), além de conter lactose, gordura e outros componentes, como glicomacropeptídeos (GMP). As tecnologias de produção atuais permitem reduzir o teor de carboidratos (principalmente de lactose) e gorduras do whey, assim, proporcionando um produto mais puro, com melhor digestibilidade e com maior concentração proteica, sem que ocorra desnaturação proteica.

Principais benefícios do whey

Muito além do esporte, o whey protein é um grande aliado para diversas situações clínicas, já que possui efeito imunomodulador, estimula a síntese de glutationa e fornece suporte antioxidante. Além disso, ele atua como modulador da microbiota intestinal, levando à proliferação de bifidobactérias no intestino. Outro ponto em destaque e o benefício de maior uso atualmente é quanto à promoção da síntese proteica induzida pelos aminoácidos do whey, contribuindo para a hipertrofia e atuando como aliado do emagrecimento saudável.

Efeito da suplementação com whey protein na composição corporal

Wirunsawanya et al. (2018), em uma revisão sistemática e metanálise, avaliaram os efeitos que a suplementação com whey protein proporciona em indivíduos com sobrepeso e obesidade. Os autores concluíram, ao final do estudo, que esta estratégia proporcionou significativa redução do peso corporal e da massa gorda, além de melhorar parâmetros relacionados ao risco cardiovascular, como pressão arterial, glicemia de jejum, HDL-c e colesterol total. Rondanelli et al. (2020), em uma revisão, apontou que a suplementação com 20g/dia de whey protein é aliada da preservação da massa livre de gordura em um protocolo de baixa ingestão calórica. Um estudo clínico randomizado e controlado (GOMES et al, 2017), realizado com mulheres que passaram por cirurgia bariátrica há 24 meses ou mais, avaliou os efeitos da suplementação com 0,5g/kg do peso ideal de whey protein, por dia, durante 16 semanas. Quando comparado ao grupo controle, o grupo intervenção teve maior perda de peso e de massa de gordura, sem mudança na massa livre de gordura.

Efeito da suplementação com whey protein na modulação do apetite

Uma metanálise de estudos randomizados (Mollahosseini et al., 2017) investigou se a suplementação com whey protein promovia algum efeito no apetite. Os autores do estudo concluíram que a intervenção, além de contribuir para reduzir o apetite no curto e no longo prazo, também era aliada da melhora da composição corporal, por estimular a saciedade. Reimer et al. (2017), em um estudo controlado, randomizado e duplo-cego, avaliaram, por 12 semanas, se o consumo de barrinhas enriquecidas com whey e/ou inulina, por indivíduos com sobrepeso ou obesidade, auxiliava na modulação do apetite e de outros parâmetros. O grupo intervenção, que recebeu a barrinha com whey, teve melhora de diversos aspectos relacionados ao controle de apetite.

Whey Protein Berries & Hibisco é um lançamento da Naiak que veio para ser a dose da beleza diária! Formulado com whey protein isolado e hidrolisado, colágenos hidrolisado e Verisol®, adoçado com estévia e xilitol e com sabor de hibisco e aroma de frutas vermelhas naturais, é um aliado da manutenção da massa magra, do emagrecimento efetivo e do cuidado integrado da pele!

Aproveite e confira algumas receitas feitas com o Whey Protein Berries & Hibisco neste link

REFERÊNCIAS

PASCHOAL, V.; NAVES A. Tratado de Nutrição Esportiva Funcional. São Paulo: Roca, 2014. CÓRDOVA-DÁVALOS, L. E. et al. Glycomacropeptide Bioactivity and Health: A Review Highlighting Action Mechanisms and Signaling Pathways. Nutrients, v. 11, n. 3, p. 598, 2019. Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6471465/>. Acesso 06 de out. 2020. WIRUNSAWANYA, K. et al. Whey Protein Supplementation Improves Body Composition and Cardiovascular Risk Factors in Overweight and Obese Patients: A Systematic Review and Meta-Analysis. J Am Coll Nutr., v.37, n.1, p. 60-70, 2018. Disponível em: < https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29087242/ > Acesso 06 de out. 2020. GOMES, D. L. et al. Whey Protein Supplementation Enhances Body Fat and Weight Loss in Women Long After Bariatric Surgery: a Randomized Controlled Trial. Obes Surg. v.27, n.2, p.424-431, 2017. Disponível em: < https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/27885532/ > Acesso 06 de out. 2020. REIMER, R. A. et al. Inulin-type fructans and whey protein both modulate appetite but only fructans alter gut microbiota in adults with overweight/obesity: A randomized controlled trial. Molecular Nutrition and Food Research, v. 61, n. 11, 2017. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28730743/> Acesso 06 de out. 2020. MOLLAHOSSEINI, M., et al. Effect of whey protein supplementation on long and short term appetite: A meta-analysis of randomized controlled trials. Clinical Nutritional ESPEN, p.34-40, 2017. Disponível em: < https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29072167/> Acesso 06 de out 2020. BADELY, M. et al. The effect of whey protein on the components of metabolic syndrome in overweight and obese individuals; a systematic review and meta-analysis. Diabetes and Metabolic Syndrome, v. 13, n. 6, p. 3121-3131, 2019. Disponível em: < https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31790966/> Acesso 06 de out. 2020.

Micronutrientes, ativos e imunidade: Qual a relação? 

Descubra a novidade #Naiak para sua prescrição!

Nos últimos meses, mais do que nunca, o adequado suporte imunológico se mostrou fundamental, sendo que a nutrição é uma importante aliada, pois alguns nutrientes são fatores-chave para o funcionamento efetivo das barreiras físicas e células imunológicas. Nesse contexto, destacam-se os micronutrientes imunomoduladores, como as vitaminas C e D e os minerais zinco e selênio, que precisam estar nas concentrações ideais para apoiar a função imunológica, de forma a promover a homeostase do organismo.

Consumo de vitaminas e minerais na população brasileira

Atualmente, a deficiência de micronutrientes é considerada um problema de saúde pública global, inclusive no Brasil. Alguns estudos foram conduzidos com a população brasileira, assim, demonstrando uma alta insuficiência do consumo de vitaminas A, C, D e E, além de minerais como selênio, zinco, ferro e cálcio (CEMBRANEL et al., 2017; TURECK, C. et al., 2017)

Relação entre nutrientes e imunidade

Levando em consideração a elevada prevalência de deficiência nutricional na população, pensar em promover a função imunológica é sinônimo de adaptar os seus níveis corporais, desse modo, contribuindo para a redução do risco de infecções por diversos patógenos e também apoiando uma recuperação otimizada.

Pelo fato de o consumo estar inadequado, além de estratégias nutricionais para melhorar a alimentação dos indivíduos, a suplementação desses nutrientes pode ser uma aliada para promover um melhor estado de saúde. Esta é indicada, principalmente, em grupos de risco, para uma maior depleção deles, como obesos, idosos, fumantes ou expostos à poluição e ao estresse.

Vitamina D

A deficiência de vitamina D é altamente prevalente na população e, devido à baixa quantidade de fontes alimentares somada ao estilo de vida indoor da maioria das pessoas, a suplementação torna-se aliada da adequação da concentração sérica deste importante micronutriente, principalmente, no contexto da imunidade. Isso porque ela atua na tolerância imunológica, estimulando a diferenciação de células T regulatórias e promovendo modulação do balanço do Th1 e Th2. Além disso, quase todas as células de defesa expressam o VDR funcional, assim, demonstrando a importante atuação desta vitamina na imunidade. 

Um estudo randomizado e controlado por placebo, conduzido em idosos, apresentou benefícios da suplementação de vitamina D na resposta à vacinação da Influenza e nas funções imunológicas: no grupo de intervenção, a razão entre Th1/Th2 foi menor, assim como os níveis de TNFα e IL-6, enquanto houve um aumento do TNFβ, demonstrando que a suplementação com esta vitamina parece direcionar a polarização dos linfócitos para uma resposta imune tolerogênica (GONCALVES-MENDES et al., 2019). Uma revisão conduzida por Charoenngam e Holick (2020) demonstra que a baixa concentração de vitamina D está associada ao maior risco de doenças e desordens relacionadas ao sistema imunológico, inclusive, ao novo coronavírus. 

Vitamina C

A vitamina C exerce efeitos na sinalização das células imunológicas, tanto nas da imunidade inata quanto nas da adaptativa, também agindo na regulação epigenética, regulando a desmetilação do DNA. Ela suporta, ainda, a função de barreira epitelial contra patógenos e protege a pele do estresse oxidativo. A vitamina C se acumula nas células fagocíticas, aumentando a quimiotaxia, a fagocitose, a geração de espécies reativas de oxigênio, ocasionando a morte do patógeno. Ela também atua na diferenciação e proliferação de células B e T, provavelmente, devido aos seus efeitos reguladores de genes. Além disso, possui um importante efeito antioxidante. A sua deficiência resulta em uma piora do status de imunidade do indivíduo, sendo sua suplementação associada à prevenção e ao tratamento de infecções respiratórias.

Vitamina E

A vitamina E é um potente antioxidante e que é encontrada em alta concentração nas células imunológicas e é um dos mais efetivos nutrientes moduladores da função imunológica, atuando na integridade da membrana, na transdução do sinal e divisão celular das células T, além de afetar de forma indireta os mediadores inflamatórios gerados por outras células imunológicas.

Extrato de própolis

A própolis é uma substância resinosa coletada de diversas partes das plantas, sendo que sua composição está relacionada às características da vegetação de cada região. A própolis verde é produzida a partir da resina do alecrim-do-campo (Baccharis dracunculifolia), uma planta nativa do cerrado brasileiro. Al-Hariri (2019) conduziu uma revisão sistemática em que reúne diversos estudos que demonstram a ação imunomoduladora do extrato de própolis verde, podendo ser um potencial tratamento complementar e alternativo no controle de infecções ou outras patologias, promovendo maior eficácia do sistema imunológico. A literatura científica demonstra atividade bactericida e antiviral da própolis (MARIANO e HORI, 2019). 

Selênio

O selênio é um mineral essencial ao adequado funcionamento de diversas enzimas antioxidantes, como a glutationa peroxidase, atuando na resistência a infecções virais e desempenhando um importante papel imunomodulador (ELMADFA; MEYER, 2020). A sua deficiência está relacionada com redução da imunidade adaptativa e inata, exacerbação da inflamação e vulnerabilidade na defesa do organismo contra patógenos. Sua suplementação, segundo Gombart, Pierre e Maggini (2020), pode ser usada como terapia adjuvante segura em infecções virais.

Zinco

A deficiência de zinco é prevalente na população e está associada com maior prevalência de infecções virais. Os linfócitos T são os mais impactados pela falta de zinco, que é necessário para a maturação e no equilíbrio das diferentes subpopulações dessas células. Ele também exerce um papel fundamental na regulação de enzimas antioxidantes, além de ser essencial para a manutenção da barreira intestinal, que também tem função imunológica, atuando na expressão da 3-claudina e da ocludina, importantes proteínas associadas à imunidade (READ et al., 2019).

 

Imuno Health é um lançamento da Naiak fonte de vitamina D3 (colecalciferol) e com excelentes concentrações de vitamina C, vitamina E, zinco, selênio e extrato de própolis verde garantindo excelente biodisponibilidade e eficácia do seu uso! São nutrientes que agem em sinergia, logo, propiciando uma ação imunomoduladora e complementando o cuidado com sua saúde de forma prática!

 

REFERÊNCIAS 

CARR, A. C.; MAGGINI, S. Vitamin C and Immune Function. Nutrients, v.9, v.11, p.1211, 2017. Disponível em: < https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29099763/> . Acesso em 15 set. de 2020.
CEMBRANEL, F. et al. Relação entre consumo alimentar de vitaminas e minerais, índice de massa corporal e circunferência da cintura: um estudo de base populacional com adultos no Sul do Brasil. Cardenos de Saúde Pública, v.33, n.12, 2017. Disponível em: < http://cadernos.ensp.fiocruz.br/csp/artigo/318/relacao-entre-consumo-alimentar-de-vitaminas-e-minerais-indice-de-massa-corporal-e-circunferencia-da-cintura-um-estudo-de-base-populacional-com-adultos-no-sul-do-brasil>. Acesso em 15 set. de 2020.
CHAROENNGAM, N.; HOLICK, M.F. Immunologic Effects of Vitamin D on Human Health and Disease. Nutrients, v.12, n.7, p.2097, 2020. Disponível em: < https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32679784/>. Acesso em 15 set. de 2020.
ELMADFA, I; MEYER, A.L. The Role of the Status of Selected Micronutrients in Shaping the Immune Function. Endocr Metab Immune Disord Drug Targets, v.19, n.8, p.1100-115, 2019. Disponível em: < https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31142256/> Acesso em 15 set. de 2020.
GANDIA, P. et al. A bioavailability study comparing two oral formulations containing zinc (Zn bis-glycinate vs. Zn gluconate) after a single administration to twelve healthy female volunteers. Int J Vitam Nutr Res, v. 77, n.4, p.243-248, 2007. Disponível em: < https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/18271278/> Acesso em 15 set. de 2020.
GOMBART, M. A.F.; PIERRE, A.; MAGGINI, S. A Review of Micronutrients and the Immune System-Working in Harmony to Reduce the Risk of Infection. Nutrients, v.12, n.1, p.236, 2020. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7019735/ Acesso em 15 set. de 2020.
GONCALVES-MENDES, N. et al. Impact of Vitamin D Supplementation on Influenza Vaccine Response and Immune Functions in Deficient Elderly Persons: A Randomized Placebo-Controlled Trial. Front Immunol., v.10, p.65, 2019. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30800121/>. Acesso em: 15 set. de 2020.
MAGGINI, S.; PIERRE, A.; CALDER, P.C. Immune Function and Micronutrient Requirements Change over the Life Course. Nutrients, v.10, n.10, p.1531, 2018. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6212925/. Acesso em: 15 set. de 2020.
MIYOSHI, Y.; TANABE, S.; SUZUKI, T. Cellular zinc is required for intestinal epithelial barrier maintenance via the regulation of claudin-3 and occludin expression.. Am J Physiol Gastrointest Liver Physiol, v.311, n.1, p.G105-16, 2016. Disponível em: < https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/27151944/ > Acesso em 15 set. de 2020.
READ, S. A. et al. The Role of Zinc in Antiviral Immunity. Adv Nutrn, v.10, n.4, p.696-710, 2019. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31305906/ Acesso em 15 set. de 2020.
TURECK, C. et al. Avaliação da ingestão de nutrientes antioxidantes pela população brasileira e sua relação com o estado nutricional. Rev Bras Epidemiol., v.20, n.1, p.30-42, 2017. Disponível em: < https://www.scielo.br/pdf/rbepid/v20n1/1980-5497-rbepid-20-01-00030.pdf > Acesso em 15 set. de 2020.
VANHERWEGEN, A.; GYSEMANS, C.; MATHIEU, C. Regulation of Immune Function by Vitamin D and
Its Use in Diseases of Immunity. Endocrinol Metab Clin North Am, v.46, n.4, p.1061-1094, 2017. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29080635/ > Acesso em 15 set. de 2020.
AL-HARIRI, M. Immune’s-boosting agent: Immunomodulation potentials of propolis. Journal of Family and Community Medicine, v. 26, n. 1, p. 57-60, 2019. Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6335834/ > Acesso em 13 de nov. 2020.
MARIANO, M.M.; HORI, J.I. O potencial terapêutico da própolis verde brasileira. e-Revista Facitec, v. 10, n. 1, 2019. 2019 Disponível em: < http://periodicos.estacio.br/index.php/e-revistafacitec/article/view/6219 > Acesso em 13 de nov. 2020.
LEWIS, E.D., MEYDANI, S.N., WU, D. Regulatory role of vitamin E in the immune system and inflammation. IUBMB Life, v.71, n.4, p.487-494, 2019 Disponível em: < https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30501009/ > Acesso em 13 de nov. 2020.

Dez receitas com Whey Protein Berries & Hibisco para o seu dia a dia!

O cuidado da saúde consiste em adotar bons hábitos alimentares e de vida, como um sono reparador e a prática de atividade física. Assim, é fundamental se atentar para a ingestão adequada e individualizada de nutrientes para que a homeostase do organismo seja garantida, como é o caso do consumo de proteínas. Isso porque este macronutriente é responsável por um papel importante na imunomodulação, na síntese proteica, no emagrecimento, bem como em outras funções, atuando de forma integrada com os demais nutrientes e orquestrando as funções fisiológicas e metabólicas.

Devido à correria do dia a dia, nem sempre a necessidade diária recomendada deste nutriente é atingida apenas pela alimentação, sendo necessário o apoio de suplemento proteico para complementar o consumo. Um dos mais consumidos é o whey, que está entre os maiores crescimentos no mercado de suplementos, principalmente, devido ao seu perfil nutricional, que apresenta excelente concentração proteica e de perfil de aminoácidos.

Whey Protein Berries & Hibisco da Naiak é um suplemento alimentar fonte de proteínas, formulado com whey protein isolado e hidrolisado, além de colágenos Verisol® e hidrolisado, com matéria-prima de qualidade superior e garantindo alta biodisponibilidade. Em cada dose, oferece 22g de proteínas, 2,5g de Verisol® e 4,3g de BCAAs, além de ter sabor de hibisco e aroma de frutas vermelhas naturais e ser adoçado com estévia e xilitol. Um produto exclusivo e inovador que veio complementar o consumo de proteínas de forma versátil na rotina, assim, contribuindo para a síntese proteica e a manutenção da massa muscular, o emagrecimento saudável, a imunomodulação e o cuidado integrado da saúde da pele, das unhas e dos cabelos.

Então, que tal experimentar essa novidade Naiak, de forma saborosa e prática, na sua rotina? Confira 10 receitas com Whey Protein Berries & Hibisco!

 

SUCO ROXO

Com alta concentração de fitoquímicos, e ainda assim muito saboroso, esse suco é bastante refrescante, perfeito para os dias de calor!

Ingredientes:

1 punhado de amoras congeladas

200ml leite da sua preferência

1 sachê Whey Protein Berries & Hibisco – Naiak

Modo de preparo: bata todos os ingredientes no liquidificador e consuma logo em seguida.

Dica: use o leite bem gelado, você também pode bater com cubos de gelo, se preferir. Experimente adicionar umas folhinhas de hortelã, deixando-o ainda mais refrescante!

 

MOUSSE FIT DE UVA

Tem dias que a gente só quer uma sobremesa gostosa, não é? Esta receita é bem simples e fácil de fazer, basta se programar para deixar na geladeira por, no mínimo, 4 horas.

Ingredientes:

1 sachê gelatina

200ml de suco integral de uva

1 sachê Whey Protein Berries & Hibisco – Naiak
200g iogurte natural

Modo de preparo:

Faça a gelatina conforme as instruções da embalagem e leve à geladeira. Quando estiver consistente, retire e bata no liquidificador com os demais ingredientes. Depois, é só voltar para a geladeira e aguardar que fique consistente novamente. Prontinho: uma sobremesa para comer sem culpa!

Dica: depois de ter batido a gelatina com os outros ingredientes, você pode colocar a mistura já em tacinhas individuais, para que fique pronta para servir. Quando estiver na consistência ideal, experimente colocar uvas higienizadas por cima, para decorar.

 

SORVETE PROTEICO DE FRUTAS VERMELHAS

Que tal um sorvete proteico, rico em fitoquímicos e muito saboroso para se refrescar nos dias mais quentes? Veja como é fácil e rápido!

Ingredientes:

3 bananas maduras cortadas em rodelas e congeladas separadamente

100g frutas vermelhas congeladas separadamente

1 sachê Whey Protein Berries & Hibisco – Naiak

Modo de preparo:

Junte todos os ingredientes no processador ou mixer, até que fique homogêneo. Você pode colocar em tacinhas para servir ou utilizar forminhas especiais para fazer sorvete de palito, conforme a foto. Volte para o congelador caso não for consumir na hora.

Dica: se você optar por consumir em tacinhas, aproveite para decorar com um mix de castanhas picadas por cima, acrescentando uma fonte de gorduras do bem na sua sobremesa.

 

BRIGADEIRO DE WHEY PROTEIN

Esta é uma ótima opção para quando der vontade de comer um docinho no meio do dia! Veja a seguir a receita de brigadeiro feito com whey protein: saudável, gostoso e com alta carga proteica!


Ingredientes:

1 sachê de Whey Protein Berries & Hibisco – Naiak

1 xícara (chá) de leite em pó de sua preferência

2 colheres (sopa) de cacau em pó

200ml de água morna

1 colher (sopa) de óleo de coco

Xylitol – Naiak a gosto

Modo de Preparo:

Bata no liquidificador a água morna, o whey protein, o leite em pó, o adoçante e o cacau até resultar em uma mistura homogênea. Depois, derreta o óleo de coco em uma panela e acrescente a mistura com whey. Vá mexendo em fogo médio até engrossar, sem parar, para não grudar na panela. Transfira para outro recipiente e leve à geladeira por, no máximo, 30 minutos. Agora é só comer de colher ou enrolar em forma de bolinhas.

Dica: se você preferir mais amargo, pode enrolar em bolinhas e passar no cacau em pó. Além de delicioso, estará incluindo ainda mais antioxidantes na sua receita.

 

CREPIOCA ROSA PROTEICA

Uma ótima opção para o pós-treino, é essa crepioca proteica feita com Whey Protein Berries & Hibisco. Veja a receita que vai se tornar sua queridinha!

Ingredientes:

1 ovo

2 colheres (sopa) goma de tapioca

1 sachê Whey Protein Berries & Hibisco –  Naiak

Modo de preparo:

Bata todos os ingredientes, com um garfo, até que fique homogêneo. Despeje na frigideira antiaderente já quente, vire assim que cozinhar por baixo e desgrudar. O tempo na frigideira é bem rápido, para não ficar “borrachuda”. Complete com o recheio de sua preferência. Vale usar a criatividade!

Dica: prefira rechear com frutas e pasta de oleaginosas, como de amendoim ou amêndoas!

 

BOLO PROTEICO DE BETERRABA

Confira o passo a passo de um bolo rico em fitoquímicos, fibras e proteínas para fazer parte de um café da tarde em família!

Ingredientes:

300g beterraba crua, descascada e cortada em cubos

3 ovos

½ xícara (chá) óleo de coco

1 xícara (chá) Xylitol – Naiak

Suco de 2 limões pequenos

2 xícaras (chá) mix de farinhas sem glúten

1 sachê Whey Protein Berries & Hibisco –  Naiak
1 colher (sopa) fermento em pó

Modo de preparo:

Primeiramente, bata no liquidificador a beterraba, os ovos, o suco de limão, o óleo de coco e o xilitol por 3 minutos. Depois, transfira o líquido homogêneo para um recipiente e acrescente a farinha e o whey. Misture bem e, por último, coloque o fermento e misture devagar. Agora, basta transferir para uma forma untada e assar, no forno preaquecido a 180 graus, por aproximadamente 40 minutos.

Dica: como o tempo pode variar de forno para forno, espete o bolo com um espeto de madeira (aqueles para churrasco) quando completar 30 minutos, se ele sair sequinho, é porque já está pronto. Caso contrário, deixe por mais tempo e faça um novo teste.

 

SMOOTHIE DE AÇAÍ PROTEICO VITAMINADO

Esse smoothie é uma excelente forma de repor nutrientes, principalmente, naqueles dias que você precisa de mais energia e disposição, podendo ser consumido como pré-treino!

Ingredientes:

150ml água de coco

1 polpa de açaí sem açúcar

1 banana madura congelada

2 folhas de couve crua

½ beterraba crua

1 sachê Whey Protein Berries & Hibisco – Naiak

Modo de preparo:

Bata todos os ingredientes no liquidificador e sirva em seguida.


GRANOLA PROTEICA

As vantagens de fazer a sua própria granola é que ela pode ficar muito mais saudável do que as encontradas no supermercado. Você pode escolher o que mais prefere e ousar nas combinações, usando realmente sua criatividade. Veja nossa sugestão para você, deixando ela rica em proteínas com o whey Naiak!

Ingredientes:

2 xícaras (chá) aveia em flocos

½ xícara (chá) coco laminado

⅓ xícara (chá) amêndoas picadas

⅓ xícara (chá) semente de abóbora

3 colheres (sopa) óleo de coco

Canela a gosto

1 pitada sal

3 colheres (sopa) mel

⅓ xícara (chá) uva-passa

1 sachê Whey Protein Berries & Hibisco – Naiak

Modo de preparo:

Misture todos os ingredientes e leve ao forno, preaquecido a 180°C, por aproximadamente 30 minutos, tirando na metade do tempo para misturar novamente. O ideal é que a granola fique bem douradinha, mas é necessário ter atenção para não queimar, já que o tempo de preparo pode variar de forno para forno. Espere esfriar completamente e transfira para um pode de vidro com tampa.

Dica: experimente com iogurtes ou frutas. Além de ser muito gostoso, você estará adicionando ingredientes essenciais para a sua saúde e o seu bem-estar.

 

MOUSSE PROTEICO DE MORANGO E SEMENTES

Que tal mais uma sobremesa muito saudável e gostosa? Confira!

Ingredientes:

1 xícara (chá) de leite de amêndoa

1 xícara (chá) de leite de coco

1 xícara (chá) de água morna

1 colher (sopa) de semente de linhaça dourada

1 colher (sopa) de chia

1 colher (sopa) de Xylitol – Naiak

½ unidade abacate

5 unidades morangos grandes

1 envelope gelatina incolor

1 sachê Whey Protein Berries & Hibisco – Naiak

Modo de preparo:

Hidrate a chia e a linhaça na água morna por 20 minutos. Depois, junte com os demais ingredientes, exceto a gelatina, e bata no liquidificador por 3 minutos. Hidrate a gelatina conforme as instruções da embalagem e misture bem com o restante do creme. Leve à geladeira por 2 horas e sirva em seguida.

Dica: você pode substituir o morango por qualquer outra fruta de sua preferência.

 

BROWNIE PROTEICO DE CACAU

Esse brownie saudável é perfeito para um café da tarde diferente. Confira esta receita incrível com poucos ingredientes!

Ingredientes:

1 ovo
2 bananas grandes maduras
½ xícara (chá) de farelo de aveia
½ xícara (chá) de pasta de amendoim
⅓ xícara (chá) de cacau em pó
⅓ xícara (chá) de chocolate 70% cacau picado
1 colher (sopa) de Xylitol – Naiak
1 sachê de Whey Protein Berries & Hibisco – Naiak

Modo de Preparo:

Bata todos os ingredientes no liquidificador, exceto o chocolate picado, até ficar homogêneo. Incorpore delicadamente o chocolate na massa. Verse em uma forma pequena untada e leve ao forno, preaquecido a 200°C, para assar por aproximadamente 20 minutos. Retire do forno e leve à geladeira por 2 horas. Depois, basta cortar em pedaços e servir.

Dica: você pode adicionar castanhas, nozes ou amendoim, como preferir, incluindo ainda mais nutrientes no seu brownie.