Conheça o óleo de pequi – o ouro do Cerrado brasileiro!

Segundo maior bioma do país, o Cerrado possui imenso potencial de frutos com propriedades nutricionais e que necessitam ser mais bem explorados. Um exemplo disso é o pequi (Caryocar brasiliense Camb.), fruto nativo da região com grande importância econômica, cultural e para a saúde.

O pequi é rico em proteínas, compostos bioativos e antioxidantes que auxiliam na produção de fármacos, no enriquecimento dos alimentos e no desenvolvimento de subprodutos como o azeite e o óleo. Esse último, uma vez extraído da polpa do pequi, pode ser utilizado tanto no preparo de pratos típicos quanto na medicina popular. Após a maceração da casca do pequi, ocorre a liberação de um pigmento utilizado no tingimento de produtos artesanais; as folhas podem ser usadas na alimentação de animais; e a polpa é aproveitada pela população local como estimulante do apetite e fortificante; finalmente, o óleo do pequi é empregado no preparo de pratos típicos e no combate a infecções, sobretudo, respiratórias e oftalmológicas, em razão da sua enorme concentração de carotenoides.

Os carotenoides presentes no pequi, como licopeno, caroteno, criptoflavina, e-criptoxantina, anteraxantina, zeaxantina, mutatoxantina, violanxantina, luteína e neoxantina, possuem elevada capacidade antioxidante e efeito pró-vitamina A. Dessa forma, estudos na literatura apontam para a suplementação com o óleo de pequi na prevenção dos danos oxidativos induzidos por radicais livres em indivíduos cuja defesa antioxidante apresenta defeitos genéticos, ou em atletas de alto rendimento, com o intuito de reduzir a inflamação e a pressão sanguínea induzidas pelo esforço físico.

Em trabalho de revisão de Matos et al. (2019), os autores avaliaram os efeitos do óleo de pequi oral ou tópico na cicatrização de feridas. Na composição do fruto, a presença de ácidos graxos, em sua maioria, o ácido oleico (50,2%) e o ácido palmítico (44,3%), por exemplo, exercem efeito imunomodulador; isso porque os ácidos graxos, de forma geral, fazem parte da composição das membranas celulares e, uma vez oxidados, geram energia e atuam como uma barreira protetora contra micro-organismos. No estudo, apontou-se que o óleo de pequi contribuiu para a redução dos dias de internação e do número de curativos realizados, além de ajudar no reparo tecidual e acelerar a cicatrização.

Em vista da importância cultural, econômica e para a saúde, a extração do óleo do pequi pode ser uma alternativa para reduzir custos, diminuir o estresse oxidativo e melhorar a qualidade de vida dos indivíduos. O Óleo de Pequi da Naiak é obtido a partir da polpa do pequi, com tecnologia que reduz odores característicos e mantém as propriedades nutricionais. Clique aqui para conhecê-lo! 

REFERÊNCIAS

Batista, F.O.; Sousa, R.S. Compostos bioativos em frutos pequi (Caryocar brasiliense camb.) e baru (Dipteryx alata vogel) e seus usos potenciais: uma revisão. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 7, p. 9259-70, jul. 2019.

Bezerra, N.K.M.S. et al. O óleo de pequi na cicatrização de feridas: uma visão interdisciplinar entre ambiente e saúde-revisão integrativa. Revista Interdisciplinar de Estudos em Saúde, v. 8, n. 1, p. 174-82, 2019.

Nascimento, L.M.D. Óleo de pequi: um nutracêutico com propriedades antioxidantes: uma revisão de literatura. 2019. 54 fls. Monografia (Graduação em Farmácia) – Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade de Brasília, Brasília, 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *