Alimentação no inverno: efeitos dos chás no equilíbrio corporal

O inverno é a estação do ano caracterizada por baixas temperaturas que são capazes de promover alterações comuns no apetite, aumentando a ingestão alimentar. A exposição ao frio promove o gasto de energia, sendo parcialmente mediada pela ativação do tecido adiposo marrom (BAT). Contudo esse aumento promove alterações hormonais e fisiológicas que podem contribuir para o ganho de peso, em função do consumo de alimentos com maior densidade energética. Aspectos como ansiedade e mudanças de humor também influenciam nesse aumento expressivo do apetite. Evidências científicas recomendam a ingestão de chás para a saúde, principalmente, nos dias mais frios. Confira três variedades de chás e os benefícios de seu consumo:

Chá de camomila

A camomila (Matricaria chamomilla L.) é uma erva medicinal nativa do sul e leste da Europa. Ela pertence ao grupo de plantas com uma grande classe de compostos ativos e propriedades essenciais ao equilíbrio de determinadas funções do organismo. Entre os principais fitoquímicos, destacam-se a apigenina, os sesquiterpenos, os flavonoides, as cumarinas e o poliacetileno. Diante de sua qualidade nutricional, o consumo de chá de camomila promove efeitos calmantes, anti-inflamatórios, imunomoduladores e antioxidantes, além de contribuir para o equilíbrio digestivo e do controle glicêmico.

O estresse oxidativo é um fator importante nas complicações do diabetes. Um ensaio clínico controlado e duplo-cego investigou os efeitos do consumo de chá de camomila no controle glicêmico e estado antioxidante em indivíduos com diabetes mellitus tipo 2. A amostra foi composta por 64 indivíduos com diabetes tipo 2, com idades entre 30 e 60 anos. O grupo de intervenção (n=32) consumiu chá de camomila (3g/150ml de água quente) 3 vezes/dia, imediatamente após as refeições, durante 8 semanas. O grupo controle consumiu água no mesmo período de intervenção. As amostras de sangue em jejum, medidas antropométricas e recordatórios dietéticos de 3 dias e 24 horas foram coletados no início e no final do estudo. Nos resultados, o chá de camomila diminuiu significativamente a concentração de hemoglobina glicosilada, os níveis séricos de insulina, a avaliação do modelo homeostático para resistência à insulina e ao malondialdeído sérico, quando comparado ao grupo controle.

Chá de carqueja

A carqueja (Baccharis trimera) é uma planta nativa encontrada em toda a América do Sul. Estudos relatam que esta erva possui atividade antioxidante in vitro, bem como efeitos anti-inflamatórios, antidiabéticos, analgésicos, anti-hepatotóxicos e antimutagênicos. Mais recentemente, Pádua et al. (2014) apontam que o chá de carqueja pode auxiliar na defesa antioxidante, em modelo inflamatório de ratos, induzido por excesso do medicamento paracetamol. Sua atividade antioxidante tem sido relacionada a diversos compostos fenólicos, incluindo os polifenóis da quercetina e da rutina, bem como os ácidos cafeoilquínicos.

Chá de erva-cidreira

A erva-cidreira (Melissa officinalis) tem sido utilizada como modulador do humor e da função cognitiva, com efeitos ansiolíticos comprovados. Um estudo piloto com extrato de erva-cidreira, administrado como uma bebida à base de água, confirmou os efeitos do ácido rosmarínico, principal composto bioativo da erva, na melhora do humor e na função cognitiva. Para isso, foram realizados dois estudos similares, cruzados, controlados com placebo e duplo-cegos, que avaliaram o humor e os efeitos cognitivos de uma preparação com erva-cidreira administrada em dois tipos de bebida.

Em cada estudo, foram mensurados os aspectos de autoavaliação do humor de uma coorte de adultos jovens saudáveis antes e depois de uma estrutura multitarefas. Ambos os tratamentos ativos de erva-cidreira foram associados à melhora do humor e do desempenho cognitivo.

Em razão do sabor amargo desses chás, recomenda-se o uso de adoçantes naturais para contribuir com os efeitos terapêuticos das bebidas. O xilitol é um importante edulcorante que promove dulçor semelhante ao açúcar comum, sem provocar desequilíbrio glicêmico e outros efeitos deletérios da glicose em excesso.

REFERÊNCIAS

KOJIMA, C. et al. The influence of environmental temperature on appetite-related hormonal responses. J
Physiol Anthropol., v. 34, n. 1, p. 4-7, 2015.

KOVACIK, J. et al. Phenylalanine ammonia-lyase activity and phenolic compounds accumulation in nitrogen
deficient Matricaria chamomilla leaf rosettes. Plant Sci., v. 172, n. 2, p. 393-399, 2007.

PÁDUA, B. C. et al. Baccharis trimera melhora o sistema de defesa antioxidante e inibe a expressão de inos e nadph oxidase em um modelo de inflamação em ratos. Biotecnologia Farmacêutica Atual,v. 14, n. 11, p. 975-984, 2014.

PAIVA, F. et al. Carqueja (Baccharis trimera) Protects against Oxidative Stress and 𝛽-Amyloid-Induced Toxicity in Caenorhabditis elegans. Oxidative Medicine and Cellular Longevity, v. 2015, p. 1-15, 2015.

SINGH, O. et al. Chamomile (Matricaria chamomilla L.): An overview. Pharmacogn Rev., v. 5, n. 9, p. 82-95, jan. 2011.

SCHOLEY, A. et al. Anti-Stress Effects of Lemon Balm-Containing Foods. Nutrients, v. 6, p. 4805-4821, 2014.

ZEMESTANI, M. et al. Chamomile tea improves glycemic indices and antioxidants status in patients with type 2 diabetes mellitus. Nutrition, v. 32, n. 1, p. 66-72, jan. 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *